Editorial

Alexandri Di Saulli Mendonça

Em épocas de crise, a aquisição de produtos agrícolas pelos governantes é uma solução eficiente e eficaz de evitar que toda a produção rural seja desperdiçada.

A História nos mostra que a Intervenção do Poder Público na Economia evita catástrofes e garante que os trabalhadores não percam o fruto do seu laboro.

A Crise de 1929 o Estados Unidos mostrou uma taxa de crescimento econômico, que se pautava nas teorias do Liberalismo Clássico de Adam Smith, teorias de não intervenção do Estado na economia, onde a lei da oferta e procura deveriam regular o mercado, não obstante, tal Doutrina Econômica caiu por água abaixo quando a lei da oferta superou a lei da procura pós a guerra de 1914 a 1918.

Para solucionar a maior crise econômica da História do Século XX, o Presidente dos Estados Unidos Franklin Roosevelt resolveu desafiar o Liberalismo Clássico e implantar o New Deal (Novo Acordo), Doutrina Econômica baseada no pensamento do pensador inglês John Maynard Keynes, cujas ideias basearam-se em injetar capital nos setores da economia como compra de toda a produção agrícola daquela época.

Tal Ramo da Economia foi amplamente utilizado para solucionar as crises do Capitalismo em crises posteriores como a Crise do Petróleo de 1973 e a Crise Imobiliária de 1998.

Recentemente a Gestão Municipal de Viana foi questionada por parte da sociedade civil a cerca da compra e distribuição de alimentos do agricultor da Zona Rural, os quais se encontram em total estado de vulnerabilidade social em virtude da evolução do Covid 19 no Brasil.

Ora, o Plano Plurianual previsto no Art. 165 da Constituição Federal e regulamentado pelo Decreto 20829 de 29 de outubro de 1998 prevê a atuação do governo em programas de duração continuada. Deixar de comprar gêneros agrícolas em uma cidade cuja principal fonte de renda privada é a agricultura familiar seria um ato omisso de qualquer governante e sua distribuição para pessoas em vulnerabilidade social não pode, sob hipótese alguma, ser alvo de críticas, na medida em que garante o sustento da população vianense, que vive do suor do seu trabalho na Zona Rural. Isto é desconsiderar todo um planejamento familiar de centenas de produtores rurais. A Gestão Municipal fora eficiente e eficaz neste ato administrativo e a História nos provou isso. Precisamos deixar paixões políticas de lado e começar a trabalhar na construção de uma nova sociedade pós pandemia.

Alexandri Di Saulli Mendonça
Historiador

Título: Historiador Vianense admite que aquisição da produção humana faz parte da História da Economia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui