política

Rubens Jr atribui crescimento da aprovação do governo Lula a avanços sociais e econômicos

O deputado federal Rubens Pereira Junior (PT), usou sua rede social para se manifestar sobre a pesquisas do Datafolha divulgada nesta terça-feira (18) em que o governo do presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) oscilou um ponto percentual para cima em relação à pesquisa anterior.

Segundo o parlamentar, os dados levantados pela pesquisa Datafolha mostram claramente que a população está reconhecendo, cada vez mais, os resultados positivos do governo.

“Este índice de aprovação reflete o avanço significativo das pautas que buscam aliar avanços sociais e econômicos implementadas pelo presidente Lula”, observa o parlamentar.

Para Rubens Junior, que vice-líder do governo na Câmara, a boa performance do governo e decorrente de políticas públicas e que a taxa de aprovação tende ser cada vez maior.

“É o retorno de políticas públicas importantes, é mais emprego, mais desenvolvimento social. Essa taxa de aprovação tende a ser cada vez maior quanto maiores forem os resultados reconhecidos pela população no seu dia a dia”, avalia o deputado.

O Datafolha divulgou nesta terça-feira (18) uma nova pesquisa avaliativa sobre o governo federal. De acordo com dados do instituto, a aprovação do presidente Lula (PT) oscilou um ponto para cima quando comparado com o levantamento de março: foi de 35% para 36%.

Em sentido contrário, a reprovação ao presidente Lula foi de 33% para 31%, enquanto o regular passou de 30% para 31%.

A nova pesquisa Datafolha também mostra que 40% dos entrevistados acreditam que a economia vai melhorar; já para 28% deve piorar e para 27% deve ficar igual. Em março, eram respectivamente 39%, 27% e 32%.

O levantamento mostra que os mais otimistas são os jovens (47%), os menos escolarizados (50%) e os moradores do Nordeste (53%).

Entre os jovens com idade entre 16 e 24 anos, 48% consideram o governo Lula regular, 25% aprovam, e 24% rejeitam.

O Datafolha foi realizado entre os dias 4 e 13 de junho. Foram entrevistados 2.008 eleitores em 113 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *